O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

São José do Rio Preto,26 de janeiro de 2020.
 
      Notícias
Página Anterior Imprima este Artigo
07/03/2017 - 08:20
Caixa ainda não divulgou balanço e prazo para pagamento da PLR vai até dia 31
 
Entidades representativas têm recebido mensagens diárias de trabalhadores em busca de informações

Apesar da cobrança feita pelas entidades representativas, ainda não há qualquer informação sobre quando a Caixa Econômica Federal vai divulgar o balanço de 2016. Enquanto isso, os empregados de todo o país seguem apreensivos com relação ao pagamento da segunda parcela da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Pelo Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) 2016/2018, o banco tem até 31 de março para creditar os valores.

“A situação é de total desrespeito com a categoria, que não tem a menor ideia de quando será o pagamento. Temos recebido, todos os dias, pedidos de esclarecimentos”, diz o presidente da Fenae, Jair Pedro Ferreira. Fabiana Matheus, diretora de Administração e Finanças da Federação, acrescenta: “enquanto o presidente Gilberto Occhi está de férias, os empregados não sabem nem se terão o que receber. Há rumores de que o lucro de 2016 será abaixo do projetado, o que vai afetar a PLR. Essa falta de informação e transparência é a marca da atual diretoria da Caixa, que insiste em desrespeitar os trabalhadores e trabalhadoras”.

PLR na Caixa

Na Caixa, a PLR é composta pela regra básica Fenaban, prevista na Convenção Coletiva de Trabalho 2016/2018 dos bancários, correspondente a 90% do salário mais R$ 2.183,53, limitado a R$ 11.713,59; parcela adicional, também presente na CCT, que representa 2,2% do lucro líquido do banco dividido pelo número total de empregados em partes iguais, até o limite individual de R$ 4.367,07; e a PLR Social, equivalente a 4% do lucro líquido, distribuídos linearmente para todos os trabalhadores.

A primeira parcela, correspondente a 60% do total a ser recebido, foi creditada no dia 20 de novembro do ano passado. Em 2016, o que foi recebido de PLR até R$ 6.677,55 foi isento de Imposto de Renda Pessoa Física. Acima disso, a tributação foi escalonada. Ainda não foi divulgado o valor limite atual. Essa foi uma conquista muito importante da categoria, cuja luta começou em 2011 e resultou na MP 597, que entrou em vigor em 1º de janeiro de 2013.

Fonte: Fenae

 
.: Sindicato dos Bancários de São José do Rio Preto e Região :.
2010 - Direitos Reservados - Desenvolvido por Solução R2