O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

São José do Rio Preto,26 de janeiro de 2020.
 
      Notícias
Página Anterior Imprima este Artigo
18/04/2017 - 17:40
Idade mínima para aposentadoria de mulheres será de 62 anos, diz relator
 
O relator da reforma da Previdência, Arthur Maia (PPS-BA), definiu que adotará uma idade mínima de 62 anos para as mulheres no relatório final da proposta de mudança nas aposentadorias.

A escolha foi anunciada em café da manhã do presidente Michel Temer com a base aliada nesta terça-feira (18). A definição atende a apelo da bancada feminina, que pressionou o peemedebista por uma diferenciação em relação à idade masculina de 65 anos.

A diminuição representa um novo recuo do governo na reforma previdenciária, já que o discurso inicial era de que a idade mínima para homens e mulheres era um dos pontos que não poderia ser alterado pelo Congresso Nacional.

REFORMA DA PREVIDÊNCIA
As mudanças propostas na aposentadoria

Em entrevista à Folha, o presidente já havia admitido a possibilidade de redução da idade mínima para as mulheres. "Se tivermos a idade de homem de 65 anos e a de mulher, 64 ou 63, não significa que não tenha sido feita uma grande conquista", disse.

Com a discussão sobre a idade mínima da mulher, o presidente da comissão especial da reforma previdenciária, Carlos Marun (PMDB-MS), adiou para quarta-feira (19) a leitura do relatório final.

Segundo ele, o relator da iniciativa, Arthur Maia (PPS-BA), pediu um tempo maior para fazer os cálculos do impacto da alteração. O adiamento foi definido em acordo com Temer e com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

A leitura do documento foi remarcada para as 9h da quarta-feira (19). Para Marun, o adiamento não causa impactos no cronograma de votação da proposta, uma vez que a expectativa é de que o documento seja votado na comissão especial apenas na semana que vem.

De acordo com o peemedebista, além da necessidade de novos cálculos para introduzir a mudança, 5% do relatório ainda não está pronto. Mesmo assim, Temer manteve nesta terça-feira (18) café da manhã com a base aliada para apresentar o texto incompleto.

Marun minimizou que o adiamento possa causar impacto nas expectativas do mercado financeiro, que esperava a apresentação pública do texto final nesta terça-feira (18).

Fonte: Folha de S. Paulo

 
.: Sindicato dos Bancários de São José do Rio Preto e Região :.
2010 - Direitos Reservados - Desenvolvido por Solução R2